Na semana passada tive a oportunidade de andar no Chevrolet Volt a convite da marca. O fabricante chama o Volt de o carro da GM do futuro. Já tinha dirigido um protótipo do Fiat Palio elétrico, mas, nada comparado a dirigir um carro de produção como o Volt. Para a Chevrolet o Volt é um modelo de elétrico de autonomia estendida. Mas, na prática ele é um híbrido do tipo paralelo já que em determinado modo de funcionamento o motor a combustão pode ajudar a mover o carro. Principalmente em situações em que todo o desempenho for exigido.

Mas se é um elétrico ou híbrido paralelo isso não vem ao caso. O certo que andar no Volt é uma experiência bem interessante. No curto trajeto estipulado pela marca pude circular com o carro nas ruas de Belo Horizonte. E rodar com um carro que não dá para escutar o motor funcionando é algo que demora o motorista demora para se acostumar. A marca trouxe para o Brasil cinco unidades que não passaram por testes de homologação. Entretanto, a impressão é que o Volt está apto a ser vendido no mercado nacional, já que o elétrico tinha um rodar bem suave e sua suspensão transmitia pouco as imperfeições do solo mesmo rodando em ruas de calçamento.

TRAÇÃO O Volt conta com três tipos de tração: normal, esportivo ou aclive para que atenda os diversos estilos e condições de condução. Dirigi nas duas primeiras opções e no modo esportivo a autonomia da bateria diminui consideravelmente. No fim da carga elétrica andei com o Volt  com o motor a combustão em funcionamento e o desempenho menor em relação ao elétrico é facilmente perceptível. Já transição do elétrico para o propulsor a gasolina não é notada pelo condutor.

No momento não há nenhuma chance de a marca comercializar o Volt no Brasil, as unidades estão aqui somente para demonstração de tecnologia. Porém, já existem promessas de alguns importadores independentes que afirma que irãi trazer o modelo, para isso basta o futuro proprietário desembolsar singela quantia de R$ 250 mil.

Até mesmo no mercado americano as vendas do Volt no varejo ainda são pequenas. Os grandes clientes são os corporativos,  a General Electric gigante do setor de aparelhos elétricos comprou 12 mil unidades do modelo e tem com meta ter uma frota de 25 mil modelos elétricos até 2015.

O Volt pode ser recarregado em 220v com quatro horas de recarga ou oito horas em ponto de 11ov. Na demonstração feita na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) bastou puxar uma extensão do laboratório para atrair a curiosidade dos estudantes, pena que alguns deles ainda não entendem muito das regras que regem o mercado, pois, sempre questionavam o por que do modelo ainda ter motor a combustão entre outras dúvidas.

A bateria tipo longa vida do elétrico é um conjunto de baterias de íon-lítio, com 198 kg em formato em “T” e 16 kWh fabricada em Brownstown Township, Michigan. Ela fornece energia para uma unidade de tração elétrica para impulsionar o veículo. Utilizando a energia armazenada na bateria, o Volt permite condução elétrica entre 40 e 80 quilômetros livres de emissões do combustível e do tubo do escapamento, conforme o tipo de pista, técnicas de condução e temperatura. No trajeto feito em Belo Horizonte a autonomia conseguida foi 7o quilômetros. A bateria do Volt foi desenvolvida para que tenha segurança, qualidade, desempenho, durabilidade e confiabilidade e por isso a marca dá garantia de oito anos ou 16o mil quilômetros para a peça.

Com tanta tecnologia embarcada, seria necessário um dia inteiro no interior do veículo só para entender e aprender a usar todos os seus recursos. No interior o sedã conta com bom espaço interno, conforto, conveniência e segurança de modelos da categoria Premium. Os bancos traseiros podem ser rebatíveis 40/60. O Volt ainda conta várias opções de configuração de cores internas, iluminação. O painel segue o nova moda da Chevrolet de cockpit duplo.

O Volt tem duas telas de LCD de sete polegadas e alta resolução totalmente em cores com as características: Um é o visor gráfico que trabalha como o painel de instrumentos, o outro no console central inclui um visor com touch screen, interruptores tipo controle por toque e comutador integrado.

Galeria


Fotos | Chevrolet/divulgação

Acompanhe também o Auto Segredos pelo Twitter