Trailblazer-painelOs mimos internos são itens que sempre despertam o interesse do consumidor. São pequenos detalhes, mas que acabam ganhando importância na hora de comprar um automóvel: às vezes o comprador acaba até priorizando um ou outro capricho do habitáculo em detrimento a questões como conjunto mecânico ou segurança, o que constitui uma exagerada incoerência. Bem, de um modo ou de outro, os agradinhos recebem cada vez mais atenção dos fabricantes, em especial nos veículos mais caros. E por falar em preço, como será que a Trailblazer, que custa R$ 134.500, se sai em tal aspecto?

O SUV da Chevrolet tem as suas artimanhas para mimar o consumidor. Há pormenores bem interessantes no habitáculo, dignos de veículos luxuosos. Mas o modelo também comete gafes, algumas delas em aspectos básicos. É possível dizer que o SUV é até contrastante em determinados pontos.

Trailblazer-vidros-eletricosUm exemplo é a ótima climatização interna, com saídas de ar-condicionado para as duas fileiras de assentos de trás: são quatro difusores complementares no total, todos posicionados no teto, e ainda é possível regular a intensidade do fluxo de ar de modo independente dos ocupantes dos bancos dianteiros. Mas, por outro lado, se os passageiros quiserem abrir a janela para curtir uma brisa natural, encontrarão vidros elétricos sem sistema um toque e teclas sem iluminação, pois o único comando que conta com tais itens é o do motorista.

A iluminação interna também revela contrastes. No porta-malas, há nada menos que três spots, um em cada lateral do compartimento e um no forro da tampa, que clareia também o piso logo atrás do veículo, tornando-se bem útil durante operações de carga e descarga. Porém, se no bagageiro o capricho é total, a situação muda com o porta-luvas, que não conta com ponto de luz e permanece às escuras. No mais, há lâmpadas de cortesia nas porções frontal e central do forro do teto e ainda nos quebra-sóis, com resultado correto.

Trailblazer-comando-do-bancoOutro capricho interno fica por conta do comando elétrico do banco do motorista, válido para ajustar não só a altura, mas também a inclinação do encosto e a distância em relação aos pedais. . Porém, surpreendentemente, o volante só é regulável em altura, permanecendo fixo em profundidade. Por fim, vale destacar, para bem, a quantidade de tomadas 12V: são três no total, posicionadas no painel, na extremidade do console central (voltada para os ocupantes da fileira central) e no porta-malas.

Na avaliação completa, será publicada ao fim da estadia do veículo, como é de praxe no Autos Segredos, falaremos sobre outros aspectos do habitáculo da Trailblazer, como o acabamento. E claro, abordaremos todas as principais questões sobre o veículo, incluindo desempenho, consumo e presença de equipamentos de segurança, entre outros. Acompanhe!

Fotos | Alexandre Soares/Autos Segredos