O Cruze Sport6 é, literalmente, o maior hatch médio do mercado brasileiro. O modelo é graúdo, com 4,51 metros de comprimento, medida apenas 8,7 cm mais curta que a da versão sedã. A distância entre-eixos de 2,69 m é a mesma para as duas carrocerias, assim como a largura de 1,79 m e a altura de 1,48 m. Afinal, é bom ou ruim ter medidas externas protuberantes? Bem, depende das prioridades do comprador.

Ter um hatch com dimensões tão amplas traz vantagens. Um dos maiores pontos positivos é o espaço interno generoso. O finado Vectra GT e os franceses Peugeot 308 e Citroën C4 têm entre-eixos cerca de 10 cm menor que seus irmãos de três volumes, com prejuízos ao espaço de quem senta atrás, embora nenhum dos modelos citados seja propriamente apertado. Já o Sport6 tem medidas internas equivalentes às do Cruze sedã, com vãos confortáveis  para as pernas de todos. Há até um centímetro extra para as cabeças dos passageiros traseiros.

A amplitude do habitáculo se repete no  porta-malas. Com 402 litros, o compartimento é um dos maiores da categoria. A diferença chega a ser pequena em relação à versão sedã, que acomoda 450 litros de bagagem. O Sport6 é um hatch que transporta toda a família sem aperto.

As desvantagens começam a aparecer na hora de estacionar. Se a ideia é ter um carro mais prático que o sedã para encarar o trânsito urbano ou manobrar em locais apertados, melhor pensar em outro hatch, pois o Sport6 ocupa praticamente o mesmo espaço do três volumes nas vagas de garagem. Os rivais medem, em média, de 15 a 20 cm a menos, diferença que se torna perceptível durante a condução.

Outro ponto negativo da carroceria corpulenta é que o desempenho do Sport6 não é superior ao do sedã, o que não chega a ser surpreendente considerando que os dois compartilham o mesmo conjunto mecânico e têm massa semelhante. O hatch chega a ser até um pouco mais pesado, por uma diferença insignificante de 2 quilos (1436 kg contra 1.434 kg), levando-se em conta o sedã que avaliamos no primeiro semestre (veja aqui).  Na prática, acelerar os dois modelos é uma experiência muitíssimo parecida.

Nota da redação: Este post deveria ter sido publicado no fim de semana passado. Contudo, descobrimos uma discrepância de informações sobre o peso do Sport6: no site da Chevrolet constava um valor diferente daquele informado pelo manual. Procuramos a assessoria da marca, que confirmou após alguns dias que o dado correto é o informado pelo manual, reproduzido no parágrafo acima. No mais, comunicamos que a permanência do Cruze no Autos Segredos chegou ao fim. O hatch já foi devolvido ao fabricante e em breve publicaremos a avaliação completa. Fique de olho para saber qual é o nosso parecer sobre ele.

Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

Acompanhe também o Auto Segredos pelo Twitter

Curta o Autos Segredos no Facebook!