As mudanças visuais no Fiat Idea 2011 fizeram bem ao modelo. O ar quadrado da linha anterior ficou mais atraente com a frente arredonda do novo modelo. Até mesmo a traseira que teve como maior alteração as lanternas com iluminação em Led´s que dão um belo efeito visual. Entretanto, as mudanças internas não acompanharam as mudanças externas, já que o modelo continua com mesmo painel de 2005, que por sinal é o mesmo usado na linha Palio. A mudança mais significativa foi o novo volante parecido com o usado no Punto. Já na motorização o monovolume ganhou o motor E.torQ. Confira abaixo a avaliação da versão Essence 1.6 16V.

Daniel Ribeiro Filho (*)
Especial para o Autos Segredos

CLIMATIZAÇÃO É por comando manual. Não tem opção de difusor de ar específico para os passageiros de trás nem regulagem de temperatura diferenciada para condutor e passageiro. Apresentou bom funcionamento, com tempo satisfatório para dar a sensação de conforto no habitáculo, depois de deixar o veículo trancado ao sol por meia hora. A rumorosidade de funcionamento é razoável na velocidade máxima e está bem vedado. POSITIVO

FREIOS Apresentaram bom comportamento dinâmico no uso urbano e em rodovias. O pedal de freio tem boa sensibilidade e relação e o ABS, boa calibragem. O espaço percorrido até a imobilização foi coerente com a velocidade imprimida. Numa condução esportiva, a reação nos dois eixos permite frear forte na entrada das curvas sem alterar a trajetória imposta e afundamento exagerado do eixo dianteiro. POSITIVO


MOTOR A performance no uso misto não apresenta a mesma dinâmica encontrada no Punto com a mesma motorização. Pesa 90kg a mais do que o Punto. As retomadas de velocidade e aceleração são aceitáveis e em algumas situações, no uso urbano e em rodovias, são lentas. Na estrada, o motor custa a encher nas retomadas de 4ª e 5ª marchas. É elástico e tem ruído baixo de funcionamento. A qualidade da dirigibilidade é satisfatória para uso familiar. Começa a ter um rendimento razoável a partir de 2.500rpm. A arquitetura do cabeçote com quatro válvulas por cilindro é bem sentida a baixo regime de rotação, pois o torque máximo é a 4.500rpm. POSITIVO

VEDAÇÃO Boa contra água e poeira. POSITIVO

DIREÇÃO As cargas do sistema assistido estão bem definidas para o uso urbano e em manobras, mas são um pouco leves em rodovias com o veículo em velocidade. A coluna de direção tem ajuste angular em altura e o volante, boa pega. O conjunto apresentou baixa rumorosidade em curvas sobre calçamento e estrada de terra. A velocidade do efeito/retorno e o diâmetro de giro em manobras satisfazem. A precisão na reta e em curvas é razoável, com reações uniformes e balanceadas em relação ao eixo traseiro. POSITIVO

ESTEPE/MACACO O estepe tem a roda em aço, mas o pneu é igual aos de uso. Está instalado dentro do porta-malas no assoalho. A operação de troca é normal e os pontos de apoio do macaco estão indicados nas soleiras. POSITIVO

FERRAMENTAS Tem chave de fenda conjugada com Philips. POSITIVO

ALARME O sistema é completo, com chave de ignição codificada, proteção volumétrica contra invasão do habitáculo pela quebra dos vidros e proteção perimétrica das partes móveis contra abertura forçada. Ao dar comando por controle remoto inserido na chave de ignição para travar as portas os vidros sobem automaticamente, se continuar pressionando a tecla, e o sistema antiesmagamento atuou com precisão. POSITIVO

VÃO DO MOTOR O ângulo de abertura do capô é ótimo e a área livre do vão é pequena. A sistematização dos vários componentes é razoável e é fácil a identificação e manuseio (menos ao reservatório de fluido de freio) dos itens de verificação periódica. O condensador do ar-condicionado apresenta vários pontos com as aletas de ventilação amassadas, fato estranho para um automóvel novo com apenas 400 quilômetros rodados. O resultado do isolamento térmico termo acústico (capô e parte do painel de fogo) em relação ao habitáculo é satisfatório. O acesso à manutenção é bem limitado na zona posterior do motor e no sistema de freios (cilindro mestre, servo freio etc), pois o mesmo invade a cobertura do painel de fogo. O reservatório de gasolina para partida a frio tem capacidade de 1,28 litro, mas há luz de advertência no quadro de instrumentos indicando quando vazio. O bocal de enchimento tem diâmetro e posicionamento ruins e ao reabastecer deve-se ter cuidado com o refluxo de gasolina, devido ao posicionamento da mangueira (alto e plano) que conecta o gargalo com o reservatório. REGULAR

ALTURA DO SOLO Toca com frequência a aba inferior do para-choque dianteiro e proteção inferior do motopropulsor ao trafegar sobre piso irregular normal de estrada de terra, transpor quebra-molas e em saídas de garagem com desnível. REGULAR

CÂMBIO Merecia um câmbio com escalonamento das marchas bem próximas e um diferencial bem definido para fazer bom par com o novo motor. As relações de marchas/diferencial proporcionam uma dirigibilidade razoável usual, sem brilho, deixando o novo e eficiente motor sem o rendimento esperado. As trocas são constantes numa topografia irregular como a de Belo Horizonte e em algumas rodovias. A qualidade de engate é boa, mas o curso da alavanca é longo. REGULAR

SUSPENSÃO O conforto de marcha merecia um melhor acerto para esta versão, pois são evidentes as transferências das imperfeições do solo para dentro (equipado com pneus da série 60). A estabilidade é boa numa condução normal e aceitável num uso mais esportivo. A inclinação da carroceria é acentuada em situação de manobra de forte desvio e retorno imediato à faixa original e numa utilização esportiva em curvas de raio curto e médio feitas no limite da aderência lateral. REGULAR

ILUMINÇÃO Os novos faróis têm construção com duplo refletor e melhor eficiência que o anterior, mas não tem regulagem elétrica de altura em função da carga transportada. Tem auxílio de faróis de neblina embutidos no para-choque. O sistema tem sensor crepuscular e luzes de cortesia somente no porta-malas e porta-luvas. No teto, tem uma lanterna central e plafonier atrás, com a lanterna integrada com dois spots fixos. O quadro de instrumentos e console central têm boa identificação noturna. REGULAR

LIMPADOR DO PARA-BRISA O sistema tem sensor de chuva. A área de varredura do para-brisa é razoável e os seis jatos dos esguichos satisfazem. No vidro traseiro, o esguicho é de cima para baixo, com boa vazão, e a palheta de boa qualidade varre boa área. É ruim o diâmetro e inclinação do bocal e posição da mangueira de acoplamento do terminal ao reservatório, que é alta e plana, ocorrendo refluxo de água. REGULAR

ACABAMENTO DA CARROCERIA A qualidade da pintura não é boa, por conter pontos com impurezas e imperfeições, mas a tonalidade da tinta é homogênea entre as partes de aço e plásticas. As quatro portas estão desniveladas entre si e a carroceria. As folgas fixas das quatro portas em relação à carroceria são diferentes entre os dois lados. O capô tem montagem aceitável, mas a tampa traseira está descentralizada.NEGATIVO


NÍVEL INTERNO DE RUÍDOS O efeito aerodinâmico inicia-se a 100km/h e é crescente com a velocidade. Sobre pisos irregulares surgem vários pequenos ruídos no habitáculo. NEGATIVO

VOLUME DO PORTA-MALAS O declarado é de 380 litros e o encontrado foi de 340 litros, prejudicado pela caixa sub-woofer e o triângulo de segurança, com a tampa do bagagito fechada.

(*) O autor do texto é engenheiro formado pela PUC Minas. Para contatos danielribeirofilho@hotmail.com. (veja aqui o perfil profissional do Daniel)

Fotos Fiat/Divulgação

Acompanhe também o Auto Segredos pelo Twitter

Confira todos os detalhes no site do Melhor Carro do Brasil: www.omelhorcarrodobrasil.com.br não deixe de participar, o resultado será divulgado no dia 15 de dezembro!