Cronos 1.3 GSR tem porta-malas enorme, bom espaço interno e linhas harmônicas da carroceria. Motor moderno conflita com câmbio automatizado de uma embreagem
Cronos 1.3 GSR
Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

Por Paulo Eduardo

Por mais aperfeiçoamentos realizados, o câmbio automatizado de apenas uma embreagem gera desconforto nas trocas de marchas. Até na condução suave, ocupantes, incluindo motorista, têm o corpo deslocado para frente na passagem das marchas. Não se trata de falta de habilidade do motorista. O sistema funciona assim mesmo. Em velocidades mais altas, na estrada, sacoleja menos os ocupantes assim como nas reduções de marchas. Mas quando o sistema hesita e as rotações sobem, o incômodo se faz presente. Comandos individuais colocados onde normalmente fica a alavanca de marchas estão à disposição do motorista para colocar o carro em movimento. Faz-se necessário sempre olhar para não errar o comando escolhido.

Cronos 1.3 GSR
Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

Sem pedal

Para não dizer que vantagens inexistem, a principal delas é não ter pedal de embreagem. Então, no anda e para do congestionamento na cidade, o motorista se livra do pedal da embreagem, que gera desconforto e desgaste físico na movimentação da perna. Neste câmbio convencional, atuadores hidráulicos trocam as marchas automaticamente ou manualmente. As trocas também podem ser feitas manualmente por meio das aletas no volante, e percebe-se ligeira diminuição de trancos e sacolejos. Podem-se trocar as marchas manualmente no modo automático para não deixar a rotação subir muito, por exemplo. No modo Sport, as trocas se dão em rotações mais altas.

Cronos 1.3 GSR
Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

Autodown

O sistema Autodown de reduções imediatas à medida que a velocidade diminui nem sempre ocorre. Fabricante recomenda ainda que o câmbio seja colocado em neutro (ponto morto) nas paradas de semáforo. Porém, o sistema stop/start desliga o motor quando o carro para no semáforo. O peso do carro aumenta em 20 quilos com o câmbio GSR em relação ao manual.

Nem a fabricante acredita mais no sistema tanto que Cronos 1.8 é equipado com câmbio automático convencional com conversor de torque. Outro argumento é que esse sistema custa menos do que o automático convencional. Na prática, a teoria é outra: manutenção é caríssima. Bem mais do que o automático convencional. E se esse câmbio automatizado de uma embreagem funcionasse suavemente não teria sido desenvolvido o mais caro de duas embreagens. Esse funciona sem trancos e com trocas de marchas imediatas.

Cronos 1.3 GSR
Foto | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

Motor

Nem tudo são espinhos, o motor 1.3 totalmente de alumínio funciona redondo, sem aspereza e é muito econômico. Computador de bordo registrou variação entre 8 e 9 km/l na cidade e 16 km/l na estrada (dentro dos limites previstos em lei) com gasolina. São bons os valores de potência e torque e a cilindrada supera 1.300 cm³, atinge 1.332 cm³. Tem boa elasticidade para cabeçote simples, de duas válvulas por cilindro. Desempenho se assemelha ao de cilindrada maior, com a vantagem de baixo consumo e poucas emissões.

Categoria superior

Cronos tem bom espaço para pernas no banco traseiro, porta-malas gigante e linhas harmônicas. O sedã derivado do Argo tem bom acabamento, exceto pontas de parafuso aparentes na dobradiça central, ruídos internos abafados e até o som de fechamento das portas é de veículo de categoria superior. Há também mazelas, como a necessidade de abaixar a cabeça para entrar no banco de trás, que tem iluminação. Agrada aos tempos atuais a tela multimídia em destaque no painel central.

Andando

Comportamento dinâmico bom, boa estabilidade, reações previsíveis e freios eficientes. Coluna de direção tem somente regulagem em altura, mas volante tem boa pega e descomplica a ergonomia com poucos comandos. Direção levíssima nas manobras facilitadas pelo diâmetro de giro médio (10,5 metros) e firme em alta. Regulagem de altura do banco do motorista ajuda encontrar a posição ideal ao volante. Cintos de três pontos retráteis e apoios de cabeça em todos os assentos atrás. Cronos ainda não passou pela avaliação de impacto do Latin NCAP para testar a resistência da estrutura da carroceria.

O Cronos Drive 1.3 GSR tem preço sugerido de R$ 65.190. Chega a R$ 70.770 se equipado com os opcionais Stile (rodas de liga, farol auxiliar e encosto do banco traseiro fracionado), Parking (câmera de ré) e alarme.

Ficha técnica Cronos 1.3 GSR

Motor
De quatro cilindros em linha, oito válvulas, flex, 1.332 cm³ de cilindrada, com potências de 109 cv (álcool) a 6.250 rpm e 101 cv (gasolina) a 6.000 rpm e torques máximos de 14,2 kgfm (álcool) e 13,7 kgfm (gasolina) a 3.500 rpm

Transmissão
Tração dianteira e câmbio automatizado de cinco marchas

Direção
Tipo pinhão e cremalheira, com assistência elétrica; diâmetro de giro, 10,5 metros

Freios
Disco ventilado na dianteira e a tambor na traseira

Suspensão
Dianteira, McPherson, e barra estabilizadora; traseira, eixo de torção; altura do solo, 15,8 centímetros

Rodas/pneus
6×15” de liga leve (opcional) /185/60R15

Peso
1.159 kg

Carga útil (passageiros+ bagagem)
400 kg

Capacidades (litro)
Tanque, 48; porta-malas, 525

Dimensões (metro)
Comprimento, 4,36; largura, 1,73; altura, 1,51; distância entre-eixos, 2,52

Desempenho
Velocidades máximas, 183 km/h (álcool) e 178,1 km/h (gasolina); aceleração até 100 km/h, 11,8 (a) e 12,3 (g)

Consumo (km/l)
Urbano, 8,5 (a) e 12,4 (g); estrada, 10,3 (a) e 14,8 (g)

Siga nossas redes sociais