Teste da Saveiro Cross

Para tentar frear as vendas da Fiat Strada a Volkswagen aumentou o leque de opções da Saveiro com a chegada da versão aventureira batizada de Cross. A nova Saveiro tem um bom conforto ao rodar, condizente com a proposta de um veículo comercial, mas, com a pressão dos pneus calibradas para circular com carga a situação muda. Aliás, vale ressaltar que até a chegada da Peugeot Hoggar a Saveiro era picape que tinha o melhor conforto. Como ex-consumidor de picapes pequenas o modelo francês foi o mais confortável que já dirigi. Mas, como o assunto aqui é a Saveiro, confira abaixo o teste:

Daniel Ribeiro Filho (*)
Especial para o Autos Segredos

ACABAMENTO DA CARROCERIA Qualidade final da pintura é boa e as montagens das partes móveis, razoáveis. Os frisos protetores das portas, os revestimentos plásticos que encobrem as soleiras e as curvaturas plásticas dos para-lamas têm boa montagem. POSITIVO

VÃO DO MOTOR O acesso à manutenção, em geral, é bom, mesmo com a montagem transversal do motor. Há isolante acústico somente em parte do painel de fogo, com resultado aceitável no isolamento acústico para um comercial leve. Mas é evidente o som de aspiração pelo filtro de ar. A sistematização dos vários componentes é racional. A zona superior do motor não tem cobertura plástica de acabamento para cabeçote e coletores de admissão e descarga. POSITIVO

Teste da Saveiro Cross

ALTURA DO SOLO Não ocorreram interferências com o solo no uso normal do veículo em ambiente urbano ou em estradas mistas (asfalto, paralelepípedo e terra). Não tem, de série, chapa protetora em aço para toda zona inferior do conjunto motopropulsor. A carga útil máxima para essa versão é de 661kg, com perda em relação à versão básica estendida, que transporta 700kg. POSITIVO

CLIMATIZAÇÃO São quatro os difusores frontais de ar no painel, que têm formato circular, bom tamanho e giram 360 graus. Favorecido pela pequena área interna, o tempo gasto para climatizar o habitáculo, com sensação de conforto, foi bom, depois de deixar o veículo trancado sob o sol por meia hora. Sistema está bem vedado e apresentou ótima eficiência. POSITIVO

FREIOS O pedal tem boa sensibilidade e o conjunto apresentou reações uniformes nos dois eixos. O freio de estacionamento é eficiente. Não ocorreu perda de eficiência frenante do sistema, depois de uso severo em longa descida sinuosa. O ABS atuou com precisão sobre piso de baixo atrito (asfalto molhado e terra cascalhada).  POSITIVO

CÂMBIO As relações de marchas/diferencial atendem bem na dirigibilidade no uso misto. A qualidade de engate é boa em precisão, maciez, curso e posicionamento da alavanca e pega no pomo. POSITIVO

MOTOR A performance é positiva para a cilindrada (1.6, de oito válvulas) e peso em ordem de marcha (1.074kg). Apresenta boa curva para a arquitetura do cabeçote, favorecendo a dinâmica no uso em geral. O sistema flex funcionou bem e é mínimo o ganho no rendimento com álcool no tanque. As retomadas de velocidade e aceleração são razoáveis, mas sem brilho esportivo. O nível de ruídos de funcionamento é razoável, mesmo quando se usa somente álcool. POSITIVO

VEDAÇÃO Boa contra água e poeira. POSITIVO

DIREÇÃO Coluna de direção tem regulagem em altura e distância, com bom curso. As cargas do sistema assistido estão muito bem definidas para o uso urbano e em rodovias. A precisão na reta e em curvas é muito boa e apresentou baixo nível de ruídos do conjunto em curvas sobre piso irregular de terra e calçamento. A velocidade do efeito retorno é boa. POSITIVO

LIMPADOR DE PARA-BRISA As palhetas são de qualidade e varrem boa área do para-brisa. Os esguichos são do tipo spray, em V, com boa vazão e abertura. O reservatório de água, instalado dentro do vão do motor, tem fácil acesso. Não há sensor de chuva. POSITIVO

ALARME Sistema é completo, com chave de ignição do tipo canivete codificada, além de proteção perimétrica das partes móveis contra a abertura forçada e volumétrica, dentro do habitáculo, contra a invasão por meio de quebra dos vidros. Ao dar comando para travar as portas, os vidros sobem automaticamente. O sistema antiesmagamento funcionou bem. POSITIVO

NÍVEL DE RUÍDOS INTERNOS É alto o efeito aerodinâmico e inicia-se a 100km/h. Existem ruídos no habitáculo quando se trafega sobre piso irregular. REGULAR

SUSPENSÃO Conforto de marcha é razoável para um comercial leve, mas tem perda significativa quando a pressão dos pneus está para a utilização com o veículo carregado. A estabilidade é boa, mesmo com suspensões elevadas e adoção de pneus de uso misto. Contorna bem curvas de raios variados (asfalto seco e terra batida), em velocidade elevada, com pouca inclinação da carroceria. REGULAR

ILUMINAÇÃO Há luzes de cortesia nos para-sóis e vão de carga. No teto tem plafonier junto ao retrovisor, com uma lanterna central e dois spots fixos integrados nas laterais, com bom resultado em iluminação. Os faróis têm duplo refletor, são eficientes no baixo e no alto e contam com o auxílio de faróis de neblina. Mas peca por não ter regulagem elétrica de altura em função da carga transportada. O quadro de instrumentos (que tem os ponteiros com iluminação permanente), o console central e os interruptores dos painéis de porta são de fácil identificação noturna. Não tem sensor crepuscular.  REGULAR

ESTEPE/MACACO O estepe tem a roda em aço e pneu iguais aos de uso e está instalado abaixo do vão de carga. O mecanismo para soltar/suspender o estepe está instalado no fim do vão de carga, sendo encoberto pelo para-choque traseiro, que é incorporado à tampa traseira. O kit de troca está fixado no assoalho, atrás do banco do passageiro. A operação de troca não é simples, nem limpa. NEGATIVO

Teste da Saveiro Cross

(*) O autor do texto é engenheiro formado pela PUC Minas. Para contatos danielribeirofilho@hotmail.com. (veja aqui o perfil profissional do Daniel)

Fotos Volkswagen/Divulgação

Acompanhe também o Auto Segredos pelo Twitter