Controle de tração e estabilidade, para-choque que cumpre a função, nova grade e luzes diurnas são as novidades do Honda Fiat 2018 com câmbio CVT. Leia o teste da versão EXL

Por Paulo Eduardo

O Honda Fit é o modelo mais prático do mercado nacional. Na linha 2018 da terceira geração, a marca corrige problema da tampa traseira vulnerável nos pequenos choques por estar quase alinhada ao para-choque. O recurso é simples: aumento da largura do para-choque, que implica em 10 centímetros a mais no comprimento do Honda Fit 2018. Finalmente, o para-choque protuberante vai cumprir a função, protegendo a tampa nas pequenas batidas.

Honda Fit 2018 ganhou dez centímetros no comprimento ficando com 4,09 metros

VSA

E passa a ser equipado com controle de tração e estabilidade (VSA) e assistente de partida em rampa, que evita recuo do carro em aclive. Outras novidades são grade frontal redesenhada, faróis totalmente em LED e lanternas piscam insistentemente em frenagens de emergência para avisar o carro de trás, luzes diurnas de rodagem e ar-condicionado digital. Além dos airbags frontais previstos em lei, versão EXL do Honda Fit 2018 é equipada também com laterais dianteiros e de cortina. A caixa de direção, com motor sem escova, passa a ter respostas mais rápidas e também mais sensibilidade, segundo a marca.

Honda Fit 2018 ganhou nova central multimídia com conectividade com Android Auto e Apple Car Play

Central multimídia

Nova também é a central multimídia com tela de sete polegadas, navegador integrado e conectividade com Android Auto e Apple Car Play. Ar-condicionado é digital, volante com comando de voz passa ter aletas para troca de marchas, além de vidros elétricos com função um toque para motorista e passageiro.

O sistema modular dos bancos do Honda Fit é imbatível. Por meio de comando simples, o encosto rebate e se alinha ao assoalho do porta-malas, formando uma plataforma única. Muito prática a transformação em furgão. Portas abrem e fecham suavemente. O senão é a parte interna do capô sem pintura em modelo de R$ 80 mil.

Modularidade

O Honda Fit 2018 agrada pela modularidade e pela facilidade de ser dirigido. Carro pequeno vira fácil em espaços apertados e a direção é leve em manobras e com peso suficiente em alta.  Coluna de direção tem regulagens em altura e distância, facilitando encontrar a melhor posição ao volante, que é revestido com material aderente, evitando deslizamento das mãos. Banco do motorista tem regulagem de altura. Entretanto, o assento permanece curto, talvez devido ao biotipo japonês, deixando as pernas sem apoio total. Espaço interno é avantajado também no banco traseiro. A ergonomia é boa, com comandos ao alcance das mãos. Entrar e sair do carro não exige esforço.

Para-choque maior do modelo reestilizado cumpre função de proteger a tampa do porta-malas

Suspensão

A suspensão firme, pois o carro é alto, transmite as imperfeições do piso irregular para dentro sem ser desconfortável. O Honda Fit 2108 surpreende com pouca rolagem da carroceria na curva. As respostas do motor satisfazem numa condução normal. Ao pisar totalmente o acelerador, o conjunto motor/câmbio urra e demora um instante a responder. Característica do câmbio CVT.  A tecla S, de esportivo, eleva as rotações do motor e torna o carro mais rápido nas retomadas, caso de ultrapassagem, e também pode ser usada na descida como freio motor. Aliás, a possibilidade de trocar as marchas manualmente permite descer em marcha reduzida para poupar freio. Há marcação de sete marchas para satisfazer aos que adoram trocá-las. Computador de bordo registrou consumo de 6,2 km/l a 8,1 km/l na cidade e de 13,3 km/l a 14,5 km/l na estrada com gasolina.

Carga útil

Um detalhe importante é quanto de peso, carga útil, pode ser transportado entre bagagem e passageiros. Essa versão topo de linha, EXL, a mais pesada, leva apenas 344 quilos de carga útil. É preciso estar atento para não rodar com sobrecarga, pois compromete freio, suspensão, alterando o comportamento do veículo. Porta-malas de boa capacidade, arrumação e acesso fáceis. Se a Honda encontrou a solução para o para-choque, falta melhorar a peça de plástico na tampa do porta-malas, sob a qual fica o comando de abertura dela, que se desprende se forçada. Usuários que não encontram logo o comando de abertura forçam a peça na vã tentativa de conseguir. Típica falta de jeito.

Garantia

 A garantia é de três anos sem limite de quilometragem para o Honda Fit 2018 e a versão EXL tem preço sugerido de R$ 80.900.

Ficha técnica

Motor
De quatro cilindros linha, flex, 1.497 cm³ de cilindrada, com potências de 116 cv (álcool) e 115 cv (gasolina) a 6.000 rpm e torques máximos de 15,3 kgfm (álcool) e 15,2 kgfm (gasolina) a 4.800 rpm

Transmissão
Tração dianteira e câmbio CVT de infinitas relações

Direção
Tipo pinhão e cremalheira, com assistência elétrica

Freios
Disco ventilado na dianteira e a tambor na traseira

Suspensão
Dianteira, McPherson; traseira, barra de torção

Rodas/pneus
6×16”de liga leve (opcional) /185/55R16

Peso
1.148 kg a 1.176 kg

Carga útil (passageiros+ bagagem)
372 kg a 344 kg

Tanque
45,3 litros

Dimensões (metro)
Comprimento, 4,09; largura, 1,69; altura, 1,52; distância entre-eixos, 2,53

Desempenho
Não divulgado

Consumo (km/l)
Urbano, 8,3 (a) e 12,3 (g); estrada, 9,9 (a) e 14,1 (g)

Fotos | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos