Os desantentos dificilmente verão as mudanças estética do Chevrolet Celta 2012. As discretas alterações se resumem a nova grade, que lembra a do Classic e aos para-choques levemente reestilizados. Ainda faz parte do conjunto a máscara negra nos faróis. No mais é o mesmo Celta de sempre com seu belo motor e o espaço interno ruim.

MUDANÇAS As principais alterações estão na parte interna. O modelo ganhou a boa iluminação ice blue que proporciona um belo visual noturno ao painel. O acabamento interno ganhou mudanças pontuais.  Os comandos do ar-condicionado vieram do Agile. Os forros de porta também ganharam novos porta-trecos.

A mudança que mais  agradou foi o volante que ficou com melhor pega, pois o antigo era bem fino. Aliás, esse novo volante não veio para deixar o modelo mais bonito e sim para ficar mais fácil disponibilizar o airbag a partir de 2014. Já que mesmo com a chegada do novo modelo derivado do Projeto Ônix  o Celta náo sai de linha.

Mas em compensação a nova manopla da alavanca do câmbio herdada do Classic foi em retrocesso. A primeira vista  é bonita, mas, no uso diário pode até  machucar a palma da mão do condutor. Fiquei apenas um final de semana com o Celta e rodei cerca de 200 quilômetros. Suficiente para ficar com a mão bem irritada,  graças as rebarbas da peça.

ESPAÇO INTERNO Por usar a plataforma simplificada do primeiro Corsa nacional, não há milagre. O espaço interno do hatch deixa muito a desejar. Nesse ponto ele perde para todos os seus concorrentes diretos. Para passar a sensação de maior espaço interno os revestimentos ganharam cores claras no modelo 2012, o que pode até causar efeito visual, mas na prática…

MOTOR No quesito motor não há para ninguém. A Chevrolet tem os melhores motores 1.0 e 1.4 do mercado. O propulsor 1.0 VHCE que equipa Celta merece respeito. Vamos para um exemplo prático: no meu caminho de casa tem um morro bem chato de subir, se não vier embalado na metade você já tem que reduzir para a primeira, com ar ligado e em companhia da Giza e com o João Pedro na cadeirinha não tem jeito. Ou coloco a primeira no meu Uno Way 1.0 ou irei passar vergonha. Já a bordo do Celta na mesma situação, subi de segunda marcha com o ar ligado e sem problema algum. Outro ponto positivo deste propulsor é em relação ao consumo. O modelo se mostra um verdadeiro pão-duro, tanto abastecido com  gasolina quanto com etanol.

PREÇOS O Celta LS duas portas parte de R$ 26.115. O valor do quatro portas sobe para R$ 27.83 e o LT manteve o preço inicial de R$ 29.364 e só está disponível nessa carroceria.

FICHA TÉCNICA

MOTOR
Dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, 999cm³ de cilindrada, oito válvulas, que desenvolve potências máximas de 77cv (gasolina) e 78cv (etanol) a 6.400rpm e torques máximos de 9,5kgfm (gasolina) e 9,7kgfm (etanol) a 5.200rpm

TRANSMISSÃO
Tração dianteira, com câmbio manual, de cinco marchas

SUSPENSÃO/RODAS/PNEUS
Dianteira, independente, do tipo McPherson; e traseira, semi-independente, com braços oscilantes / 5,5 x 14 polegadas, em liga leve (opcional) / 175/65 R14 (opcional)

DIREÇÃO
Do tipo pinhão e cremalheira, com assistência hidráulica

FREIOS
Discos na dianteira e tambor na traseira, sem freios ABS (nem como opcional)

CAPACIDADES
Tanque, 54 litros; carga (passageiros bagagem), 490 quilos

Fotos | Marlos Ney Vidal/Autos Segredos

Acompanhe também o Auto Segredos pelo Twitter

Quer equipar seu auto? Compare os preços antes no indiCAuto Auto Peças Online!