Tinha tempo que não publicávamos tantos flagras de nossos leitores. Neste post temos fotos do Fiat X6H feita pelo Álisson Araújo, do JAC T40 feitas por Avelino Nelson e Márcio Filho e o Renault Kwid foi clicado por Marcelo de Santana e Julio Marcos. O hatch italiano chega em maio, já o modelo francês e o SUV chinês devem chegar em junho.

Fiat X6H

O Fiat X6H como antecipamos no dia 7 deste mês chegará em maio. O modelo terá versões 1.0 e 1.3 Firefly e 1.8 E.torQ. Ainda sem nome definido, o hatch terá preços entre R$ 45 mil e R$ 72 mil. As versões serão Attractive 1.0 e 1.3, Essence 1.8 e Sporting 1.8.

JAC T40

O JAC T40 será lançado em junho e especula-se que preço fique na casa dos R$ 55 mil. O novo modelo será posicionado abaixo do T5.

O T40 tem 4,14 metros de comprimento, 1,75m de largura e 2,49m de entre-eixos. O SUV será concorrente dos modelos Volkswagen CrossFox, Renault Sandero Stepway e Hyundai HB20X.

Motor

O T40 será equipado com o motor 1.5 VVT 16V JetFlex que tende 125cv de potência a 6.000rpm e torque de 15,4kgfm a 4.000rpm quando abastecido com gasolina. Com etanol, a potência passa para 127cv a 6.000rpm e o torque é de 15,7kgfm a 4.000rpm. O câmbio será o manual de cinco velocidades.

Renault Kwid

O Renault Kwid fará sua estreia em julho. O hatch será equipado com o motor 1.0 SCe tem potência de 79cv e torque de 10,2kgfm quando abastecido com gasolina e 82cv e torque de 10,5kgfm com etanol no tanque. O câmbio é o manual de cinco velocidades. O compacto também terá versões equipadas com a transmissão automatizada Easy’R.

Plataforma

O Kwid fabricado no Brasil usa uma nova plataforma mundial da Aliança Renault-Nissan, conhecida como CMF-A, com cerca de 80% do seu conteúdo composto por peças novas, desenvolvidas pela Renault Tecnologia Américas.

Airbags

O Kwid será o primeiro hatch compacto do mercado nacional a vir de série com airbags laterais, além dos obrigatórios frontais. A exemplo de Logan e Sandero equipados com câmbio automatizado, o Kwid com transmissão Easy’R virá equipado com controles de tração e estabilidade.

Fotos | Marcelo de Santana e Julio Marcos (Renault Kwid), Avelino Nelson e Márcio Filho (JAC T40) E Álisson Araújo (Fiat X6H)

Flagrou algum carro diferente, camuflado, com placas verdes (ou tudo isso) ou ainda tem alguma informação interessante e quer contribuir com o Autos Segredos? Envie para o e-mail contato@autossegredos.com.br. Ou ainda pelo nosso WhatsApp (31) 99547-4805.

  • Brasil_MG

    Se o acabamento da Captur de R$ 90.000 é repleto de plásticos duros e de aspecto pobre, estou imaginando como será o interior do Kwid!

    • Renegade1.0Fire

      deve ser feito com material reciclado …Não entendo porque o acabamento da Renault tem que ser tão ruim.

    • Raimundo A.

      Rapaz, fico me perguntando até que ponto irá essa super valorização por materiais mais macios ao toque? E cito outras queixas como saídas centrais de ar condicionado ditas baixas; capô que não tem braço com amortecedor; etc.

      Quem vai conduzir ou usar o veículo vai ficar com as mãos o tempo todo acariciando o painéis? Como já vi, passageiro da frente pondo os pés apoiados sobre o painel com o veículo em movimento? A posição dos difusores das saídas de ar são intocáveis. É muito trabalhoso ajustar elas, então deixa como veio de fábrica.

      Se o material for mais rígido desde que tenha qualidade e bem montado, o passar do tempo vai mostrar a questão de mais ou menos desgaste, excesso de ruído, etc. Não adianta ter materiais mais caros porque causam um boa impressão ao toque, mas isso depois resulta em mais acúmulo de gordura, mais cuidado na hora de limpar, etc.

      O povo fala tanto do Captur europeu, mas versões mais simples dele como de concorrentes não são lá essas coisas, ainda que melhor comparado ao Duster. Quem avaliou o Kaptur percebeu que tinha semelhanças boas e outras ruins sobre o Captur e aqui a Renault poderia ter feito mais diferente, mas seguiu o projeto em outros mercados.

      O Kwid indiano é bem pior comparado ao que já foi flagrado, mostrado em conceito, e informações sobre as melhorias. Acho que é se iludir demais pensar que ele entregar conforto e construção acima da média, até porque boa parte dos brasileiros não se preocupa com a parte de engenharia que gera impacto na comodidade de produto. Ultimamente tem se preocupado com a presença de CMM, algum item de segurança, vão livre maior, seja SUV ou não, e motor econômico.

      Se o produto é de fato seguro, arquitetura de primeira, etc, é um detalhe para poucos. O UP! tá aí para mostrar se um projeto moderno para o padrão baixo dos produtos exclusivos nacionais, mas quanto vende mesmo?

      Cada um tem o direito de criticar porque tem seus princípios, mas opinião de frequentadores que detém mais conhecimento em site automotivo é igual a de jornalista da área. Não adianta tanto elogiar demais, criticar demais, questionar, porque não sou eu ou outro que vai comprar o produto. Orientar é bom para quem quer uma compra mais assertiva e para tal não é preso as marcas.

      O problema é que a maioria parece fidelizada a marca ou compra veículo como se fosse um investimento.

      • Luis_Zo

        A posição das saídas de ar influencia absurdamente na performance do ar condicionado, mais precisamente na sensação térmica durante um cool-down.

        Não é frescura, tecnicamente fazendo elas com o maior tamanho possível (pra diminuir a perda de carga) e posicionado o mais “alto possível” (pra melhorar o direcionamento do fluxo para as regiões de cabeça e pescoço) fazem com que um mesmo sistema de ar condicionado seja mais eficiente no conforto térmico dos passageiros.

        • Raimundo A.

          Nobre, eu não gosto de ar frio na altura da cabeça. Sendo assim, pode por saída de ar na altura da parte superior do parabrisas que eu vou direcionar o fluxo para a altura do tórax. Se a intenção é refrigerar a parte de trás da cabine quando não há saída dedicada para ela, direcionar o fluxo de ar para o teto é uma forma e saídas mais altas contribuem. Porém, devo lembrar que se a posição da saída ajuda, aumentar a velocidade do ventilador tem mais efeito.
          Alguns reclamam da saída central baixa do ar do Uno Mille, mas eu já dirigi esse veículo e pondo o fluxo a meia altura para cima, ventilador na posição três, tanto na frente quanto atrás ficava bem refrigerado e é o tórax que precisa baixa a temperatura logo e não a cabeça e pescoço.
          Outra, se saída de ar alta é mais importante, por que veículos que tem saídas na parte de trás da cabine, vários estão abaixo da linha de cintura, mas tem os ajustes de direcionamento de fluxo?
          Não deveria ser a mesma altura do painel do veículo?
          A prova do que digo é sistemas quad zone, as duas de trás costumam ter posição inferior ao do painel, logo é preciso ajustar as saídas, e se não quiser, também não tem problema. A cabine está fechada. Cedo ou tarde, a temperatura interna será reduzida.

          • Luis_Zo

            Vamos lá Raimundo:

            Saída na parte superior. Podem ser duas opções:

            1, O defroster, para desembaciar o parabrisa.
            2, uma forma de melhorar (e mais barato que tubo pra parte de tras) o conforto térmico dos passageiros do banco de trás, utilizando a curvatura da carroceria (efeito coanda) e “jogar” ar para tras.

            Aumentar a vazão realmente tem mais efeito. Mas aumentar a vazão e direciona-la para os pés (exemplo absurdo pra exemplificar) não vai acelerar o teu conforto térmico na hora em que o carro ta la parado há 5 horas num sol de 30C e tu entra nele e da a partida. As regiões da cabeça e pescoço são as que fisiologicamente aceleram o processo de sentir conforto termico

            A posição alta das saídas é baseada nesses “piores casos” (como do parafrago anterior). O direcionados de ar delas existe justamente para casos que não são esses (a tua preferencia por exemplo), ou seja, após o conforto, direciona pra outra parte do corpo ou da cabine.

            Do Mille, o que fazia a parte a frente e de tras ficar bem refrigerado não é a velocidade três, nem a posição baixa. É o fato de a cabine dele ser bem pequena. Quanto menor o volume interno, mais rapido é a performance de cooldown. Pega ao mesmo sistema do Mille e aplica num Cherokee. É desconforto na certa.

            Sim, a saída traseira deveria ser a mesma altura da dianteira. Entretanto temos vários problemas pra fazer isso:

            1. Packging. Onde vão os tubos? Pelo teto? Não, pelo pavimento.
            2. Perda de Carga: se fizer um tubo pelo pavimento e la na parte de tras fazer duas curvas, uma virando pra cima, uma reta e outra virando pra tras, vai ocasionar uma maior perda de carga e diminuir a vazão máxima disponível pra atras (e pra frente, pois o ventilador é o mesmo), Como tu mesmo falou, vazão é importante. Ja fiz analises que a vazão na parte de tras do veiculo era tão pequena que não valia a pena ter a saída.
            3. Design. Grande chance de ficar feio.
            4. Habitabilidade/ergonomia. Vai diminuir muito.
            5. Qualidade percebida. Devido ao numero 4, vai perder bastante nesse atributo subjetivo.

            A questão do cedo ou tarde a temperatura vai ser reduzida é que é o problema. Um bom sistema de AC reduz cedo (não tarde).

            Devido tudo a isso que eu expliquei, tecnicamente, saídas de ar mais altas e grande área aberta são preferidas pra entregar uma boa performance de AC pro cliente.

          • Raimundo A.

            Nobre, não perca o seu detalhando a parte técnica porque eu sei da sua importância. O comentário inicial deixa claro que certos apelos são questionáveis. Não adianta criticar posição de saída de ar se o indivíduo tem preguiça de ajustar ela. O projeto pode não ser o melhor, mas se há ajustes, é para suprir alguma perda e eu mesmo citei que não gosto de ar frio na região da cabeça ajustando o fluxo para tórax quando estou em veículos com saídas mais altas.
            Veículos mais caros com terceira fileira de assentos tem saídas de ar laterais pelas colunas e ajuste de velocidade do ar.
            O projeto varia conforme o fim do produto, mas não é cabível alguém criticar uma coisa se não a usa direito e é o que mais vemos. Gente que nunca testou um produto e o detona. Se brincar usa algo similar e não vão vê os defeitos.

          • Luis_Zo

            Não perdi meu tempo, muito pelo contrario, quando a gente fala sobre coisas que domina é bem fácil e prazeroso 🙂

          • Mr. On The Road 77

            Raimundo, você está desprezando a física.

          • Raimundo A.

            Não estou desprezando a física, mas questionando a preguiça.

      • Marco

        Extremamente racional seu comentário Raimundo. Como diz o velho ditado: “Nem Jesus Cristo conseguiu agradar a todo mundo”…
        Gde abç!

      • Filipe Braga

        Acho mais do que correto exigir veículos melhores. Não sei porque brasileiro se contenta com tão pouco.

      • Anderson SP®

        R$ 90 mil em um carro com acabamento de Sandero, e achar que querer um acabamento melhor do que o apresentado é “supervalorização” de materiais de qualidade ?
        Se fosse pra isso já bastava o Duster, colocar uma carcaça chamativa e deixar o mesmo conteúdo e cobrar mais por isso é achar o consumidor um belo trouxa, as vendas minguadas dele mesmo passando comerciais a rodo mostram que na concorrência tem algo melhor as vezes por menos.

        • Raimundo A.

          Nós pagamos o valor citado por você. Na Rússia, o Kaptur é mais caro que o Duster e tem a mesma deficiência. Foi o que eu disse sobre a Renault manter a concepção do projeto aqui. Para nós seria um erro, mas o que nos faz superior aos russos para termos um acabamento melhor que o deles?
          É do projeto. Tem gente que paga a mais para levar menos conteúdo porque a credibilidade da marca compensa.
          Compra o Captur quem quer. Que não quer, migre para concorrente tendo alguns com plástico duro no painel, mas o conjunto mecânico é melhor, a marca é mais confiável.
          Novamente, por melhor que seja um painel emborrachado, você vai tirar proveito disso como? E se for de madeira?
          Acho muito melhor ter bancos confortáveis, instrumentos com melhor ergonomia, pois isso me trará conforto como condutor ou passageiro.
          Outra, melhor ter plástico duro em toda a porta a ver pintura da lataria exposta e com o tempo a pessoa esbarrando nela ter a cor desbotada.

      • Leonel

        Entendo que o ponto aqui citado pelo @brasil_mg:disqus é o fato do Captur ultrapassar a casa dos R$90 mil. Nessa faixa de valor, não podemos nos contentar com pouco, temos que exigir que tudo seja muito bom.

        Para piorar o que foi citado, tiveram a coragem de colocar um 2.0 com câmbio automático de 4 marchas. Uma coisa é discutirmos interior de carros na faixa de R$40 mil, outra é de R$90 mil. Penso esse ser o ponto central aqui.

        • Raimundo A.

          Não estou tirando o mérito da cobrança em função do valor, mas de certas coisas ditas necessárias como se o usuário fosse tirar muito proveito e na prática não ocorre.

          Se é para cobrarmos sempre o melhor, então vamos começar pela política, pois graças a várias condutas dela, nós que pagamos impostos muitos altos e não temos retorno nos serviços públicos, em bens de consumo não é diferente.

          Pagar metade do valor de um veículo a depender da origem em tributos para sustentar regalias de outros não tem graça. Eu não tenho um Fusion na porte de graça, mas é carro fácil de ver no DF a serviço do governo.

      • ocampi

        Acho que o pessoal deve andar sentado no painel. Air Bag existe para isso em caso de batida. Painel tem que apresentar um desenho inovador e ergonômico para fácil leitura do motorista. Se o painel é bom de passar a mão….frescura total. Concordo com você sobre este ponto.

      • Duh

        O problema da Renault ainda não chegou ao nível de soft touch, o problema ainda é ser de plástico duros muito piores que qualquer outro carro até os mais baratos.

      • Soriani B.

        O problema do acabamento do Captur é a faixa de preços que ele ocupa. Conhece um carro chamado Renegade? Conhece o acabamento dele?

        Quanto ao ar condicionado, acredito que você não costume ver aparelhos de ar instalados a 1 metro do chão em casas e escritório, mas no alto. Sabe por quê?

        Outra coisa: muitos carros à venda por aqui foram pensados para países do Norte, onde o inverno é longo e rigoroso, necessitando de calefação no veículo.

      • Ferrari

        Dentro das reclamações justas há um monte de sofismas e reclamações de pessoas que nem conhecem ou têm interesse no carro. Essa reclamação do plástico duro é recorrente. Acho que o pessoal quer andar alisando o painel do carro, só pode.

        E sobre os preços… Bem…. Aqui só existe carro menos caro.

      • Jackson

        Qualquer um sabe que o ar frio deve ser sempre direcionado para o alto e o ar quente para os pés. Verão, ar frio deve ser direcionado para o para-brisa e não direto ao corpo do motorista ou passageiro. Aqui no sul usamos muito o ar quente no inverno e pela lógica ele é direcionado para os pés. As vezes se joga para as saídas centrais ou laterais para esquentar as mãos. Física e conforto térmico tem sua lógica.

      • Marco Correa

        Boas ponderações…
        Anualmente eu passo ferias na Serra gaucha e sempre alugo um Duster pra ir pra la. Sou BEM chato com barulhos dentro do carro. Em todos que aluguei, nao me lembro de ouvir barulhos em funcao de acabamento desgastado ou mal montado. E olha que é carro de locadora…

        • Luciano Lopes

          Tenho um Sandero com 110,000km…Zero barulhos de porta e painel

    • invalid_pilot

      Mas vai ter plástico (de baixa qualidade) em tudo, o que não pode é lata exposta pois isso sim é pobreza.

      • Artur

        Mas é óbvio que sim. Lata exposta está altamente sujeita a riscos. Se você passar uma chave ali sem querer vai ficar uma marca para toda a eternidade. Ou mesmo carregar o seu cachorrinho no veículo pode lhe render altos riscos na lataria exposta.
        Plástico, por pior que seja a qualidade, não é tão fácil assim de riscar e, mesmo se acontecer, não vai ficar tão feio quanto uma lataria riscada no interior do veículo.

        • invalid_pilot

          Lata teoricamente polimento e pintura resolve, plástico só trocando a peça.

          Tem gente que é capaz de destruir um interior mesmo se ele for feito de fibra de carbono.

          • Artur

            O polimento resolve apenas aqueles riscos bem superficiais. Os mais fundos, que chegam a ultrapassar a camada do verniz, só na pintura mesmo e normalmente é trabalhoso (se pintar só a área do risco provavelmente vai dar diferença de cor) e depende muito de quem irá executar o serviço (se o cara não for bom no que faz é bem alta a chance do resultado não ficar bom).
            Já o plástico é mais resistente a riscos mais leves. Uma passadinha de chave na lataria já gera um risco, no plástico normalmente não.
            Mas isso é verdade: dependendo da gravidade do risco no plástico, só trocando toda a peça mesmo…

        • Celeritate

          Se seguirmos essa lógica, o interior não deveria ter cromados e muito menos acabamento em preto brilhante (black piano).

          • Artur

            Depende. Se for em aço com tinta e verniz por cima, ok, você está correto. Mas a maioria dos veículos utiliza, no seu interior, plásticos texturizados pintados, que são bem mais resistentes a riscos.
            Quer fazer uma experiência? Pegue a chave do seu carro e passe na pintura externa. Depois, com a mesma força utilizada, passe a chave na parte do painel com detalhes cromados ou em black piano.
            Depois me diga qual o resultado.

    • Whering Alberto

      Mas é aquele lance: bons recortes e encaixes corretos valem mais do que várias texturas e cores (vale mais até mesmo do que o famoso soft toutch). Veja Gol e Palio: no VW, tudo é monótono, mas preciso e milimétrico; no FIAT, temos várias formas, cores e texturas, mas superfícies frouxas, desniveladas e “cantos vivos” por toda parte. No GM Captiva, painel e portas são emborrachados, mas as peças têm encaixes ruins. No HONDA CR-V, quase tudo é rígido, mas de muito boa qualidade e montagem. Claro, só o tempo e o uso do carro poderá dizer quem é bem acabado e quem não é. Meu Fit 2012, por exemplo, chacoalha tudo quando passo por ruas de paralelepípedo, embora eu o tenha julgado bem-acabado quando o comprei.

      • Brasil_MG

        Concordo com sua colocação. As vezes um painel de plástico bem arrematado e encaixado, é melhor que um soft touch mal feito. No caso da Captur, não acontece nem um nem outro. O plástico é duro e o acabamento é mal feito. O acabamento da porta traseira tão simples quanto de um carro popular de R$ 40mil.

        • Whering Alberto

          Isso é verdade. Esqueci de comentar sobre. Eu acho até que, mesmo sendo “o mesmo” painel do Clio francês, a Renault BR deu uma empobrecida a mais. É lasca… kkkkkk

          • Brasil_MG

            Fui na Renault conhecer o carro, e gostei muito do visual externo. Mas quando abri a porta e entrei dentro do carro, pensei que estava em um Sandero.

          • Whering Alberto

            Isso. O design, não posso negar, chama atenção (tirando a estranheza de olhar o perfil do carro e perceber tão alto vão livre em relação ao solo), mas quanta pobreza interna. Aí quando você combina 2.0 aspirado com transmissão automática de 4 marchas, desiste de vez. Pelo precinho (de todos esses SUV atuais), a gente compra um excelente seminovo bem mais completo, seguro e eficiente, né não? Depende da preferência de cada um: 0 km básico (e de baixo custo) ou seminovo (de procedência, claro) de nível superior. Se o cara for numa CCS FIAT, por exemplo, com 44 mil pilas ele só compra um Palio 1.0. Isso é aceitável?

          • Brasil_MG

            Na Fiat dá pra comprar também por R$ 44mil, um Grand Siena com motor 1.0 8v, que deve ser mais lento que uma bicicleta motorizada.

          • Whering Alberto

            Lerdíssimo! Nem quero imaginar isso.

  • Denis

    Já é angustioso ver o X6H com tanta camuflagem e zebragem…… Nem a bola de cristal do Autos Segredos foi capaz de acertar o nome de batismo deste Fiat…..

    Esta demora já dura mais de um ano e meio, e só vemos a burca neste projeto fusão de Palio e Punto com um par de brincos…… (vide Dragon Ball Z Vegetto).

    http://4.bp.blogspot.com/-tGESlBFOXL0/U663iKRe3oI/AAAAAAAACFc/vDUpST8AOK0/s1600/Vegetto_by_raykugen-d38gt0f.png

    http://carplace.uol.com.br/wp-content/uploads/2017/03/palio-x-puntocp-774×516.jpg

  • Denis

    Já é angustioso ver o X6H com tanta camuflagem e zebragem…… Nem a bola de cristal do Autos Segredos foi capaz de acertar o nome de batismo deste Fiat…..

    Esta demora já dura mais de um ano e meio, e só vemos a burca neste projeto fusão de Palio e Punto com um par de brincos…… (vide Dragon Ball Z Vegetto).

    http://4.bp.blogspot.com/-tGESlBFOXL0/U663iKRe3oI/AAAAAAAACFc/vDUpST8AOK0/s1600/Vegetto_by_raykugen-d38gt0f.png

    http://carplace.uol.com.br/wp-content/uploads/2017/03/palio-x-puntocp-774×516.jpg

    http://carplace.uol.com.br/wp-content/uploads/2017/03/fiat-x6h-2018.jpg

    • Marco

      É o que eu ando postando há uns 6 meses aqui Denis, a letargia da Fiat dá nos nervos…Recuperar o terreno perdido vai demorar, e muito.

      • Rafael Lima

        A Fiat ja perdeu tanto terreno que não ta podendo errar com o X6H

      • Marcos Lopes

        É interessante essa questão do nome do X6H. O lançamento está previsto para o mês que vem e até agora não se oficializou o seu nome definitivo. Não me recordo de fato semelhante ter ocorrido antes na indústria automobilística.

        • Malvino Jose Moreira Junior

          Verdade nem, o mobi x1h demorou tanto para revelar o nome kkk

      • Jackson

        A Fiat com o X6H e a Ford com a Ecosport, estão as passos de tartaruga.

    • Luconces

      X6H com cantos arredondados na janela e o Kwid com cantos vivos…

  • J_Eduardo

    Enquanto o kwid terá versão com controle de estabilidade e tração, a Fiat matou a Barra de estabilizadora em prol de amorteçedores mais rígidos na nova versão do MOBI…parabéns a Ranult, esperemos que nosso mercado saiba valorizar a marca francesa por esta postura inteligente e responsável…

    • Fagner Rafael.

      Antes de parabenizar qualquer uma das duas melhor joga los na parede, afinal uma coisa não substitui a outra tratando dessas ratoeiras

      • Matheus Conrado

        Mas nem um dos problemas acima se testa na parede rapaz… é na pista… é bom que o carro absorva bem a pancada.. mas ainda melhor é evita-la..

    • pablo76

      Renault, refuerza a estructura de carro lado del conductor mais nao do acompanante

    • Artur

      Só resta saber se os tais reforços estruturais no Kwid serão realmente implementados. Porque se vier com a mesma estrutura do indiano, estamos ferrados! Rsrs

  • celso

    Alguém sabe qual é a previsão de lançamento do Kwid ?
    Parece até uma gestão de elefanta.

    • Ygor Soares

      Tá na matéria amigo! Abs

    • Matheus Conrado

      Tudo á ver com elefante.. ja que ele é indiano kkkk.. deixa testar bastante pra ele deixar de ser lata de sardinda… se eu nao me engano a renault pretende ter boa nota no Ncap,por isso o interesse em 4 ab e esp de serie… tomara que façam direito…chega de lançamentos inseguros no nosso pais.

  • Raimundo A.

    Entre esses flagras, o que me chama a atenção é o X6H com placas da FCA Goiana/PE. Beleza, o Toro em fase de testes com carroceria definitiva também foi flagrado com placas de Betim/MG. Mas qual o motivo disso? Acompanhamento entre os projetos por cada unidade?

    Relatei que vi o Mobi quando estava na fase de testes bem disfarçado indo para Goiana/PE e vindo desta. Idem, Fiorino, Grand Siena e Palio.

    Abaixo, republico foto de flagra de um dos vários Toro de testes da FCA/PE que não transitam disfarçados. É um Freedom AT9 4×2 com teto panorâmico. Há mais de uma unidade do Toro com o teto solar em testes e outros sem. Noutro dia, vi uma cegonha com dois Toro com teto solar indo para revenda.

    https://s16.postimg.org/cchbpdkt1/Toro.jpg?noredir=1

  • CaioVictor681

    Esse JAC lembra muito o IX35 !!!

    • Fagner Rafael.

      Sim, por conta da traseira, mas olhando na lateral achei que lembra o Creta hahaha

      • Matheus Conrado

        Lembra um pouco mesmo.. mas creta abusa mais das linhas retas.. ao ponto de ser na minha opinião o mais careta do segmento… talvez pra dar uma longevidade maior ao design.. totalmente o contrario de poucos anos atras

      • wagner

        Resumindo! Mais um carro Asiatico, não passando de mais do mesmo.

  • Verdades sobre o mercado

    Pergunta que não quer calar: Renault vai tirar os air-bags laterais do Kwid 2019 ou vai inclui-los de serie no restante da linha ?

  • Matheus Conrado

    Esse jaczinho tem proposta interessante.. bem melhor que active e cross da vida..

  • Filipe Braga

    R$ 45 mil num 1.0 aspirado é dureza, viu!

  • Marcos Drawer

    Pelo jeito, os donos de Corcel/Del Rey/Belina/Pampa vão gostar das rodas que virão no Kwid…

    • Hater x Haters

      Os carros de Formula 1 tem apenas 1 parafuso. Portanto, vamos parar de choro e relinches pessoal.

  • Artur

    Se o Kwid vier com os airbags laterais em todas as versões e ESP e TC nas versões topo, vai dar uma bela lição de moral no “todo poderoso” Up!, que se gaba em ser o “mais seguro da categoria”, é caríssimo e não oferece esses itens nem como opcionais. Uma lástima!

    • NORDSK

      Precisamos ver no todo. O fato de colocar ESP e TC além de 2 air bags não que dizer que um carro é seguro. A estrutura do carro, os aços utilizados, a deformação em uma batida, são igualmente importantes e até mais. Sei que o indiano é um lixo, então a versão nacional terá que melhorar muito, mas muito mesmo, para poder brigar com o Up em segurança.

  • Duh

    Esse JAC ficou bonito com um bom preço e bem equipado teria um sem problemas.

    • CARnivoro

      Eu tb achei ele bonito. Vamos ver a versão de lançamento.

  • Julio Andraski

    https://uploads.disquscdn.com/images/86610170cd339f23b9bd2638b1a1d764b7579d9d501bda556c2f3edca39e1501.jpg Um pouco do interior, que parece já estar com as texturas e cores definitivas.

    • Raimundo A.

      Na foto, se ver o Captur. Será o 1.6 CVT?

      • Julio Andraski

        Não reparei muito no Captur para ver se era… estava mais de olho no painel do Kwid, mesmo.

    • Luconces

      Olha só, janelas sem cantos arredondados…
      Confere mesmo!?

  • marcos

    Pelo que tenho visto no mercado esse Kwid vai dar trabalho e nao duvidem ir para as primeiras posiçoes nas vendas e ate ágio por falta dele nas concessionárias. Renault foi esperta em conciliar a onda Suv num carro de entrada, isso claro, se ela não colocar ele pra concorrer com Ecosport…aí ja era!!!

  • Rodrigo

    Li em outro blog que o provável nome do X6H seria Style. Se for, seria mais lógico batizarem logo de Stilo mesmo, apesar de ser um veículo mais compacto que aquele. Alguma chance de realmente ser esse nome?

    • Luconces

      Falaram que teria 4 letras.

      Style não funcionaria, é uma palavra em inglês.

      A Fiat pira nos nomes em italiano.

  • Luconces

    Interessante que o Kwid tem as janelas com canto vivo e não arredondado.

    Quatro airbags + ESP + Controle de Tração?

    Clap-Clap Renault!

  • Cloves Junior

    Esse Kwid não é o mesmo que foi tido como caixão sobre rodas? Não teve péssima avaliação no global NCAP? Que mesmo com airbags matam o motorista pois esmagam o tronco do motorista e passageiro? Deus, irão lançar essa draga mesmo e muita gente vai comprar.

    • Luconces

      Se reverem o projeto, deixando mais seguro e passando nos crash-test não vejo problemas!

      • Cloves Junior

        Concordo, mas sabemos que não mudarão pois é um problema estrutural. Já foi dito que trarão a versão reforçada indiana, é que ela, mesmo usando airbags laterais tirou nota horrível no crash test, se eles nem adaptam direito a suspensão imagine gastar milhões corrigindo um projeto destinado para países de terceiro mundo que não presam a segurança dos veículos e pagam fortunas em 1.0?

        • Luconces

          Eu não posso afirmar nada, espero que a Renault esteja fazendo certo.

          Creio que ela não iria cometer um erro desses e como você disse já será usada a versão reforçada que agregou não sei quanto kilos ao carro.

          Tenho bons pressentimentos quanto ao Kwid.

          • Cloves Junior

            Entendo, mas é conhecido que já estava em produção o veículo nos moldes falados e não creio que iriam destruir as unidades produzidas… Mas vai que temos esperança, agora pense… Trouxeram um Captura e ao invés de trazerem uma mecânica atualizada usaram a do Duster com engenharia de 15 anos e um câmbio de 4 marchas para o 2.0, sendo o 1.6 herdado o conjunto tecnológico do march 1.6 e com um câmbio mais atualizado iria perder dinheiro com isso? Se a intenção fosse melhorar a estrutura não iriam prometer airbags laterais e sim venderiam a história de que a estrutura seria refeita para o Brasil, o que ninguém leu isso.

          • Luconces

            Faz sentido seu pensamento!

            Penso que a jogada dos airbags laterais foi muito da consequência do resultado do kwid Indiano. Não penso que eles deixariam de reforçar estrutura…

            Tô com os dedos cruzados kkkkk

          • Cloves Junior

            Entendi, o problema maior não foi somente a estrutura e sim a disposição de onde estão os passageiros, tanto q em vários testes os airbags matariam tanto o motorista quanto o passageiro, tirando que o volante esmagaria o tronco do motorista em crash test de 80 km/h, algo muito mais fácil de acontecer. Teriam q refazer o projeto pra concertar isso. Brasileiro não preocupa com isso e muitos nem sabem o que é estes testes, então eu não compraria este carro, até o antigo Clio teve resultados melhores sem airbag, com airbag tinha nota 3 e 4.

  • Edilson

    Duvido que esse t40 irá custar 55mil!