Com a chegada da nova Nissan Frontier, nossa reportagem levantou os custos das revisões obrigatórias no período três anos de garantia de contratual de todo o segmento. Atualmente, a categoria conta com modelos da Chevrolet, Fiat, Ford, Mitsubishi, Nissan, Toyota e Volkswagen. Confira em nossos infográficos qual picape tem o custo de manutenção mais baixo.

Amarok, Frontier, Ranger, S10 e Hilux devem realizar as revisões periódicas a cada 12 meses ou 10.000 quilômetros, prevalecendo o que acontecer primeiro. A Toro deve ser revisada a cada 20.000  quilômetros ou 12 meses de uso, também prevalecendo o que ocorrer primeiro. A L200 Triton Sport é a única picape em que as revisões devem ser realizadas a cada seis meses ou 10.000 quilômetros, sempre prevalecendo o que acontecer primeiro.

Com o fim das revisões semestrais, a VW Amarok é a picape diesel mais barata de se manter no período de garantia

Volkswagen Amarok

A Volkswagen Amarok é a picape diesel com o custo de manutenção mais baixo. As revisões da Amarok  devem ser realizadas a cada 12 meses ou 10 mil quilômetros rodados. A marca não diferencia os valores das revisões para as versões com motor 2.0 de 140 cv e 180 cv. Durante o período de garantia contratual o proprietário gastará a quantia de R$ 2.061,33. A marca diferencia o valor das revisões por estado – por isso, o preço cotado tem como base o estado de Minas Gerais. Apesar da diferenciação os custos tem pouca variação.

Apesar do site do marca alemã ser o mais completo, não está explícito que as revisões têm o mesmo valor para ambos os motores. No entanto, apesar do deslize, a página da VW informa os itens substituídos, trocados, itens complementares e sugeridos. O consumidor também fica sabendo os custos de revisões até os 100 mil quilômetros.

Caso a picape não chegue nas quilometragens exigidas para as revisões o cliente fará somente as trocas de óleo

Fiat Toro

Lançada em 2016, a Fiat Toro ficou com o segundo lugar. O fabricante tem plano diferenciado dos demais concorrentes, por isso, para deixar a picape em paridade com os concorrentes vamos considerar os valores das duas primeiras revisões. O plano de manutenção programada para a picape prevê a revisão apenas por quilometragem, por isso, não há limite de tempo para a revisão. Entretanto, para manter a garantia ativa é obrigatório realizar a troca de óleo que deve ser feita por quilometragem ou tempo (1 ano), prevalecendo o que primeiro ocorrer, podendo coincidir com as revisões no caso de troca por quilometragem.

Levando-se em conta um cliente que rode pouco, apenas 5.000 km por ano, ele seria obrigado a realizar três trocas de óleo, cada troca tem preço sugerido de R$ 420, assim durante os três anos o desembolso seria de R$ 1.260.

Entretanto, caso o cliente rode a média de 15.000 quilômetros  por ano, em três anos ele rodaria 45.000 quilômetros. Neste caso, ele deverá fazer duas revisões por quilometragem e uma possível troca de óleo. Na primeira o gasto seria de R$ 648 e a segunda R$ 1.128 e R$ 420 pelo valor sugerido da troca de óleo. Neste caso durante os três anos de uso ele desembolsaria R$ 2.196.

Site confuso

No site da Fiat a navegação é confusa e induz o cliente a achar que não há informações sobre os custos das revisões da Toro equipada com motor diesel. Como as informações são separadas por ano, caso o cliente opte por pesquisar modelos acima de 2016 ele encontrará somente os valores das versões flex. A página informa apenas os valores e itens trocados a cada revisão. No site são informados os valores e itens trocados até os 100 mil quilômetros rodados.

Nissan Frontier é a terceira picape com o custo de revisão mais baixo

Nissan Frontier

Mais nova integrante do segmento, a Nissan Frontier ficou com a terceira posição. Durante os três anos de garantia contratual o cliente irá desembolsar R$ 2.345. No site da marca japonesa, o consumidor encontra informações sobre itens inspecionados e substituídos e valores das revisões. Porém, o site da Nissan só tem informações para as revisões até os 60 mil quilômetros.

As revisões devem ser executadas a cada doze meses ou 10.000 quilômetros.

Ford Ranger é comercializada com motores 2.2 e 3.2

Ford Ranger

A Ford Ranger conta com duas opções de motorização diesel e o custo das revisões é diferenciado. Considerando o motor 2.2 o cliente irá desembolsar a quantia de R$ 2.284 e para o motor 3.2 o custo é de R$ 2.464, o que deixa a picape produzida na Argentina na quarta posição. O site da Ford fica devendo informações importantes como os itens que são verificados a cada revisão. Na página, são informados apenas os itens trocados e valores de revisão até os 30 mil quilômetros.

As revisões para a picape devem ser realizadas a cada doze meses ou 10 mil quilômetros.

Revisões periódicas da S10 tem custo total de R$ 2.484 durante os três anos de garantia

Chevrolet S10

A Chevrolet S10 ficou com o quinto lugar por uma diferença de R$ 20 em relação a Ford Ranger 3.2. Durante os três primeiros anos de garantia o cliente desembolsará a quantia de R$ 2.484 para deixar sua picape em dia com as revisões periódicas. As revisões devem ser realizadas a cada 12 meses ou 10.000 quilômetros. No site da Chevrolet há informações sobre itens trocados e verificados e valores das manutenções até os 100 mil quilômetros. Um ponto positivo da página da Chevrolet é o agendamento do serviço pelo site.

Toyota Hilux

A Toyota Hilux ficou com o sexto lugar entre os custos de revisões contratuais.  Durante os três anos de garantia o proprietário gastará o valor de R$ 2.629,29. A página da Toyota é a que tem menos informações para o cliente. Nela são informados apenas os valores das revisões que devem ser executadas a cada 12 meses ou 10.000 quilômetros, prevalecendo o que acontecer primeiro.

O site da Toyota fica devendo informações básicas e é a página que oferece menos informações para o cliente.

O site informa os valores das revisões até os 60.000 quilômetros e o único atrativo da página é o agendamento das revisões.

Revisões semestrais elevam o custo de manutenção da Mitsubishi L20 Triton Sport

Mitsubishi L200 Triton Sport

A Mitsubishi L200 Triton Sport é a picape mais cara de se manter no período de garantia contratual. A marca obriga o cliente a realizar as revisões a cada seis meses ou 10.000 quilômetros rodados. Em função disto, o cliente da L200 automática gastará R$ 5.714 durante os três anos de garantia e o proprietário da versão manual desembolsará R$ 5.743 por conta do acréscimo de R$ 29 na quarta revisão.

No site, o cliente encontrará os valores e itens substituídos a cada revisão. A marca não específica quais itens são inspecionados e apenas informa que a picape terá 34 itens verificados.

Infografias | Fabiano Barroso/Auto Papo
Fotos | Volkswagen/Divulgação, Nissan/Divulgação, Ford/Divulgação, Chevrolet/Divulgação, Toyota/Divulgação, Fiat/Divulgação e Mitsubishi/Divulgação

(*) Matéria atualizada às 15h07 do dia 20/4/2017 para atualização de informações das revisões da Fiat Toro. O fabricante havia passado dados errados para a matéria.

  • Marco

    Facada as revisões da Mitsubish hein!!! 🙁
    Além de ter se transformado na pick up mais feia do Brasil, (ficou com cara de Mahindra), essa revisão semestral desanima qualquer freguês.

  • Andre

    Essa Toro é uma SUV com carroceria aberta, nem se enquadra como picape, e tem valor de manutenção de carro de luxo !!

    O que seria dos espertos se, os trouxas não existissem!

    .
    .
    .

    • wagner

      Sabe muito ein! Esse manja!

    • Netovsk

      Por causa do chassi monobloco?

    • Murilo Soares de O. Filho

      Cara, vc passa mal, manutenção de carro de luxo?

  • Wellington Myph13

    Precisa pegar o preço das peças de desgaste.
    Pastilha de freio da Amarok deve custar uma fortuna.
    A Hilux deve ganhar nesse quesito pelo que ouço de muitos clientes meus que tem uma. Não faço ideia se é verdade, as vezes eles mesmos acham isso mas nunca consultaram outros…

    • Mario Souza

      Sabe o que tem de excelente hoje em dia? Consulta pela internet. Pesquisa rápida e pelo jeito suas previsões e de seus clientes não se confirmam, como tudo que vem dos palpiteiros da toyota. Preço de pneu na toyota a dois anos 600,00 cada, pneu igual na loja 300,00 cada. E assim caminha a humanidade. Pelas contas e apresentação ainda teve a revisão mais cara. Fazer o que, a alma do negócio é a propaganda e a primeira impressão. Agora é so não deixar que o público saiba que existe vida barata e boa fora da toyota!

      • Wellington Myph13

        Na verdade ninguém em sã consciência troca Pneus em CSS, só se tiver uma oferta muito forte (o que é praticamente impossível).
        Eu estou dizendo itens como Pastilhas de Freio e Discos. Até onde me lembro, um cliente disse que pagou 480 pra trocar a pastilha do Toyota, e o irmão dele gastou 800 na Amarok. Daí com o tempo envolve suspensões e etc… A Toyota nesse tipo de produto, sempre teve preço bom, e nunca compensou comprar fora de CSS.

    • BrPb

      No site da Toyota tem uns kits de peças como pastilhas de freio, discos, amortecedores, etc. Tudo já com a mão de obra inclusa e os preços fixos. Eu acho a manutenção razoavelmente barata. O que ocorre é que ainda existe muita concessionária fazendo a empurroterapia. Um cliente meu comprou um HR-V e já está com 50 mil km. Em todas as revisões a concessionária empurrou aqueles velhos kits de lubrificação das dobradiças e etc, que custa uns 100 reais. Ele aceitou em todas! O carro só tem dois anos de uso. A média dos preços sem o kit foi de 400 reais. Certa vez o carro sofreu um pequeno acidente de transito com uma moto e a parte inferior do para-choque ficou deformada. Ele começou a pesquisar em sucata e mercado livre. Eu sugeri que ele ligasse na concessionária pois muitas vezes tem algumas peças mais baratas do que o paralelo. Custou 90 reais na Honda. Uma peça frontal grande.

      Bom, mesmo geralmente tendo peças e revisões mais baratas (Toyota), a diferença acaba sendo tirada no preço alto do carro zero km.

      • Paulo Thesis

        Não é só o do HR-V, de todo Honda, se você tirar a carenagem aerodinâmica o para-choque fica bambo como se fosse cair a qualquer momento.

  • BrPb

    Só corrigindo: a arte mostra a Frontier com motor 2.8, mas ela é 2.3, e a Hilux com 2.5, mas é motor 2.8.

    Frontier e S10 possuem apenas 2 airbags. Hilux só tem todos os airbags na topo. A Pick-up mais equilibrada é a Ranger 2.2 4×4 AT por já ter 7 airbags e ESP de série. E por estar sendo vendida promocionalmente mais barata do que a Toro, por 126 mil.

  • Andre L W

    Vou dar uma ideia ao Autossegredos ao fazerem essas análises: considerem 2 perfis de consumidor, um que faz as revisões por ano e outro que faz revisões por quilometragem, e façam 2 “tabelas”. No caso do primeiro consumidor, usem o critério 3 anos como agora (ou 5 anos) e para o segundo o critério de 10/20/30/40/50/60mil km (ou até 100mil km). Desde o tempo em que a VW exigia manutenção a cada 6 meses ou 10 mil km (mudado na linha 2017 pra 12 meses ou 10 mil km), acho q essas “análises de custo de manutenção” deveriam ser feitas considerando esses dois tipos de consumidor. Eu ando 30mil km por ano e com os valores apresentados para essas picapes (exceção à Toro) meu gasto ocorreria em um ano e não em três (na Toro seriam 2 anos e nesse caso ela seria a de menor custo para mim). Lembro que na época da VW a discussão era que 6 meses era pouco, mas eu fazia revisões a cada 4 meses, então não importava se tinha um Jetta de revisão a cada 6 meses ou 10mil km (como efetivamente tive) ou um veículo de outra marca cuja revisão era 1 ano ou 10 mil km, pois para mim sempre considerava o custo de 30mil km/ano ao analisar cada carro.

    • Thiago Pessoa

      Concordo. A tabela reflete uma realidade totalmente surreal para quem compra uma pick diesel: pagar caro para quase não rodar (10 mil km em 1 ano é realmente muito pouco). Queria saber quanto custava manter a garantia de um carro por 3 ou 5 anos quando se roda de verdade (rodo em torno de 40 mil km por ano).

      • Paulo Thesis

        Não é surreal, é só olhar em sites de compra e ver pick ups com baixa km à venda.

  • RKK

    Os custos de manutenção são bem combinados entre as “concorrentes” neste oligopólio nacional.

    • Pedro Rocha

      A Mitsubishi está fora do cartel, então, mas para mais caro.

      • RKK

        O custo da Mitsubishi é para 60 mil km e não 30 mil km como as demais.

    • Leonel

      O da VW fiquei sem entender. É impressão minha ou eles substituem os mesmos itens nas duas primeiras revisões, mas a segunda dobra de valor?

      • RKK

        Provavelmente irão alegar que a mão de obra é gratuita na primeira revisão. É um assalto o custo destas revisões, é o ônus da garantia.

  • RKK

    O custo de manutenção até o término da garantia não é a forma correta de mensurar o custo de manutenção de um veículo, sendo mais apropriado o custo por km rodado, exceto se o objetivo for mostrar o custo total da “garantia”.
    Agora o maior custo para manter um pickup à diesel é o seguro, estratosférico.

    • Leonel

      Eu até desconfio de uma massa que compra este tipo de carro e anda sem seguro. Lembro de um caso de um “gurizão” que andava de Hilux “se achando”, roubaram e, realmente, não tinha seguro…

    • pedro

      Mas não diz que é “custo de manutenção” é CUSTO DE REVISÃO, está claro na reportagem e no título.

      • RKK

        Estando o veículo em garantia não é a mesma coisa ?

  • Cássio Amaral

    A Toyota é f….. Eu faço a mesma crítica quanto à falta de transparência no site da montadora, pois a empresa não disponibiliza no site o que é trocado em cada revisão, algo que todas as outras fazem. O resultado disso é que fica mais fácil pro consultor da concessionária empurrar serviço, já que o cliente não tem como checar de antemão o que é feito em cada uma das revisões. Isso já aconteceu mais de uma vez com proprietários de carros da marca.

  • Pedro Rocha

    Sei que é de uma categoria superior, mas poderiam também ter pesquisado a RAM 2500.

  • To na área!

    Nossa, como esse site ficou poluído. As mesmas reportagens aparecem várias vezes na página inicial. Por favor, volte a versão anterior!

  • Aline Coronetti Dezanet

    Não conheço ninguém que compre veículo desse porte que faça revisão por tempo…. normalmente esse perfil fazem mais de 20.000km por ano. Não é correto essa análise.

  • sergio augusto

    O ponto fundamental qual seria a unica camionete que ainda, usa a correia dentada não foi citado ou omitido !!!

  • ####Carlao GTS

    AMAROK mais barata? só se for nas “MINAS”

  • Ramasther Docssa

    É bom saber…aguardo a S10 Flex – AT,..picape é rei da estrada.