O Fiat Punto desde que chegou ao mercado nacional em 2007 é considerado um belo carro com seu design, mas, lhe faltava motor. Agora três anos depois, a Fiat passa a equipar o modelo com os modernos motores E.torQ. Confira abaixo a avaliação técnica da versão 1.6 16V Essence.

Daniel Ribeiro Filho (*)
Especial para o Autos Segredos

VÃO DO MOTOR O layout do vão está benfeito, com aspecto organizado, e os itens de verificação permanente são fácil manuseio e identificação, além de um resultado em insonorização razoável em relação ao habitáculo. O motor é compacto pela cilindrada e configuração do cabeçote 16V, e está bem centralizado no vão. O acesso à manutenção é bom. O capô tem bom ângulo de abertura. POSITIVO

CLIMATIZAÇÃO É por comando manual, com bom funcionamento e vazão pelos difusores de ar do painel. O tempo gasto para climatizar todo o habitáculo com sensação de conforto, depois de meia hora trancado ao sol, foi satisfatório. O sistema está bem vedado. A rumorosidade de funcionamento é aceitável. Este novo motor suporta bem a utilização do ar-condicionado, com pouca perda de rendimento. POSITIVO

FREIOS O pedal de freio tem boa sensibilidade e o de estacionamento atuou normal. Os conjuntos dianteiro e traseiro estão bem dimensionados e calibrados com ABS eficiente. As suas reações são bem balanceadas nos dois eixos e em frenagem de emergência (asfalto seco e terra) apresentou uma boa desaceleração com manutenção da trajetória imposta e espaço percorrido até a imobilização coerente com a velocidade e tipo de solo. POSITIVO

MOTOR É um projeto moderno e atual, com novas soluções de engenharia na construção e praticidade na manutenção. Surpreende o rendimento para a cilindrada. A sua curva (torque/potência x rpm) proporciona uma condução prazerosa tanto na cidade quando em rodovias com poucos aclives. Apresenta pouco ruído de funcionamento e boa elasticidade. Na estrada é rápido e consegue manter uma boa velocidade de cruzeiro, mesmo com algumas subidas em que se deve trabalhar bem com a 4ª e 5ª marchas. Está previsto consumo de óleo motor de até 500ml a cada mil quilômetros rodados. O sistema flex funcionou bem. POSITIVO

VEDAÇÃO Boa contra água e poeira. POSITIVO

SUSPENSÃO É um automóvel extremamente estável e neutro, com ótima precisão em curvas de raios variados e inclinação contida da carroceria. Proporciona uma dirigibilidade prazerosa e segura e numa condução bem esportiva é difícil encontrar o limite de aderência lateral, em que é muito veloz em curvas. O conforto de marcha é bom, mas não tem o excelente acerto quando equipado com pneus da série 60 e aro 15. POSITIVO

ESTEPE/MACACO O estepe, que tem a roda em liga leve e o pneu igual aos de uso, está instalado dentro do porta-malas. A operação de troca é normal. POSITIVO

LIMPADOR DE PARA-BRISA O sistema tem sensor de chuva. As palhetas do limpador dianteiro têm projeto bem diferenciado do usual e tem aleta incorporada para aumentar a pressão aerodinâmica contra o para-brisa. Apresentaram boa qualidade funcionamento e varrem uma área satisfatória. Ao esguichar seis jatos de boa vazão, o sistema de limpeza atua automaticamente. No vidro traseiro o conjunto é também eficiente e é fácil o acesso e a identificação do reservatório d’água dentro do vão do motor. POSITIVO

ALARME Tem chave de ignição codificada com imobilizador do motor e tem inseridas na mesma teclas de travar e destravar as portas. Ao dar comando para travar as portas e mantendo a tecla pressionada os vidros sobem automaticamente e o sistema antiesmagamento funcionou bem. O veículo em prova estava equipado (acessórios Fiat) com proteção volumétrica dentro do habitáculo e perimétrica das partes móveis. POSITIVO

ALTURA DO SOLO Não tem, de série, chapa protetora em aço para o cárter e caixa de câmbio. Com carga máxima, ocorreram leves raspadas na base inferior do para-choque dianteiro e zona central do chassi ao trafegar em estrada de terra com imperfeições, saídas de garagem em desnível e transpor quebra-molas salientes e curtos. REGULAR

CÂMBIO Apresentou eventual falta de precisão e maciez principalmente nas trocas e reduções rápidas, numa condução esportiva. O pomo tem boa pega e o curso da alavanca é um pouco longo. As relações de marchas/ diferencial atendem razoavelmente à curva do motor e peso do veículo. As trocas são poucas para um motor com quatro válvulas por cilindro e as retomadas de velocidade na reta plana e em pequenos aclives foi boa nas várias situações avaliadas, em 3ª marcha a 40km/h e 60km/h, 4ª marcha a 60/80/100km/h, e em 5ª a 80/120km/h, todas a partir de 2.000rpm, mesmo com ar-condicionado ligado. Na estrada, em 5ª marca a 110km/h, o motor gira a 3.100rpm e a 160km/h na rotação de torque máximo 4.500rpm). REGULAR

NÍVEL INTERNO DE RUÍDOS Apresentou nível baixo de ruídos no habitáculo, mesmo quando sobre piso de paralelepípedo, terra irregular e asfalto ruim. O efeito aerodinâmico inicia a 100km/h e é crescente com a velocidade e aumenta em alta velocidade. REGULAR

DIREÇÃO A coluna de direção tem ajuste em altura e distância com bom curso. A assistência hidráulica tem cargas muito bem definidas para o uso na cidade e na estrada. O diâmetro de giro com 10,9m é limitado em manobras apertadas de garagem e estacionamento, mas a velocidade do efeito retorno satisfaz. A precisão na reta e em curvas é muito boa e o conjunto apresentou baixa rumorosidade em curvas sobre paralelepípedo e terra batida com algumas imperfeições. REGULAR

ILUMINAÇÃO Há sensor crepuscular. Os faróis têm construção com parábola simples, e são eficientes no baixo e no alto, mas não há regulagem elétrica em altura em função da carga transportada. Tem auxílio de faróis de neblina embutido no para-choque. Há luz de cortesia no porta-malas e no porta-luvas, e na zona do teto tem uma lanterna integrada com dois spots fixos junto ao retrovisor com resultado razoável em iluminação. O quadro de instrumentos, o console central e os comandos elétricos dos painéis de porta têm boa identificação noturna. REGULAR

ACABAMENTO DA CARROCERIA As quatro portas estão desniveladas em relação à carroceria. A qualidade final da pintura não é boa, pois contém alguns pontos com impurezas, escorrimento de tinta e chapa malpreparada. As portas não têm friso protetor. O capô está descentralizado, e a tampa traseira, desalinhada/descentralizada. NEGATIVO

VOLUME DO PORTA-MALAS O volume declarado pela fábrica é de 280 litros. O encontrado com o banco traseiro na posição normal e a tampa do bagagito fechada foi de 256 litros, prejudicado pelo triangulo de segurança e a cobertura acarpetada com perfil bem irregular do assoalho.

(*) O autor do texto é engenheiro formado pela PUC Minas. Para contatos danielribeirofilho@hotmail.com. (veja aqui o perfil profissional do Daniel)

Fotos Fiat/Divulgação

 

Tags: , , , , , ,